O que você tem a ver com o fim do bônus demográfico?

O bônus demográfico acabou e você nem sabia que ele existia? Vamos esclarecer o que isso significa e quais impactos terão daqui para frente.

Imagine a trajetória de uma pessoa que deseja ter prosperidade financeira, precisa crescer, trabalhar e investir, para mais adiante usufruir suas economias com tranquilidade. Quanto mais cedo ela iniciar os investimentos, menor será o esforço ao longo dos anos e, provavelmente, não haverá de trabalhar no futuro para se manter. Mas caso não aproveite a fase produtiva e envelheça antes de gerar riqueza, terá um esforço muito maior para recuperar o tempo perdido.

O mesmo acontece com um país. O ciclo de desenvolvimento com a maior oportunidade para enriquecer é chamado bônus demográfico, um fenômeno que não se repete na história de uma nação. Se o país fosse uma pessoa, é como se estivesse na fase adulta ou fase produtiva. O grande momento para se desenvolver é quando a maior parte da população está em idade produtiva. Com mais pessoas ativas do que crianças e idosos, a economia tende a crescer pois, aumenta a arrecadação de impostos, amplia os investimentos e, portanto, gera mais riqueza.

Segundo projeções do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) o bônus demográfico do Brasil se encerrou em 2018, cinco anos antes do previsto. A pergunta é: o País se beneficiou do fenômeno para desenvolver a economia? Segundo especialistas, o efeito do bônus demográfico só é efetivo e real quando há evidências da melhoria das condições de saúde, educação e mercado de trabalho. Mas isso não ocorreu. Com a difusão de doenças transmissíveis, insuficiência dos níveis da qualidade da educação e recessão das vagas de emprego, a grande janela de oportunidade não foi suficientemente utilizada.

Para que o Brasil recupere o tempo perdido sem estagnar o nível socioeconômico, precisará elevar sua produtividade, de fato com maior esforço. Deverá investir em educação, aumentar a qualidade na saúde, estimular o emprego de novas tecnologias e implementar reformas para elevar a eficiência econômica e sustentar a nova fase em que a população começa a envelhecer. Essa é a chance para se tornar o País do futuro.

Aos brasileiros que querem garantir um futuro tranquilo e aproveitar a longevidade, ainda há tempo! O planejamento deve ser iniciado agora, para não envelhecer antes de garantir seu pé-de-meia.


Mayara Marrafon
– Coordenadora de Educação Quanta Previdência

COMPARTILHE

Compartilhar via facebook Compartilhar via twitter Compartilhar via email Compartilhar via linkedIn Compartilhar via whatsapp